TOTAL DE VISUALIZAÇÕES

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

Pilotagem - Curvas e Frenagens

Um grande problema que enfrentamos é que poucos de nós (muito poucos mesmo) treinam regularmente frenagens de emergencia e controle da moto em curvas (tanto de alta como de baixa velocidade).


Nas curvas, você tem que entrar com o motor cheio para utiliza-lo como freio se necessário, jamais usando os freios dianteiro ou traseiro. Basta fechar a manete de aceleração que a moto reduzirá e inclinará ainda mais, ajudando na curva. É muito mais seguro entrar em uma curva desconhecida reduzindo para uma marcha mais baixa, com motor "esgoelando", do que entrar "solto" em uma marcha alta.
Outra providencia em curvas mais rápidas é transferir o centro de gravidade para o mais próximo do solo, para isso basta deixar de preguiça e passar o peso do corpo para a pedaleira/plataforma do lado interno da curva aliviando a bunda no banco. Nas tourings isso é um santo remédio para acabar com as pequenas reboladas.


Fundamental é você olhar para ONDE QUER ir e não para ONDE NÃO QUER ir. O primeiro é a SOLUÇÃO, o segundo é o PROBLEMA. Olhe sempre para a SOLUÇÃO, jamais para o PROBLEMA. É impressionante como instintivamente giramos o guidon para onde estamos olhando, só após muito treino e muita prática nos desvencilhamos deste automatismo. É muito comum não conseguirmos fazer um contorno em uma rua por termos fixado nosso olhar no meio-fio (guia), assim como sairmos da estrada por ficarmos olhando para o acostamento se aproximando. Você vai para onde você olha !


Existe uma forma de fazer uma frenagem de emergencia em uma curva utilizando o freio dianteiro no seu limite. Além de exigir muito treino é fundamental a negociação da entrada da curva. Sempre que possível, visualizar o ponto de tangência da curva e fazer a entrada no lado oposto ao mesmo. Isto é, se o ponto de tangência está à sua esquerda você faz a entrada de curva no limite à direita e vice-versa. Se você perceber que a velocidade está muito além do permitido pela curva e não tiver condições de usar o freio motor, retire a inclinação da moto, colocando-a em pé e aplique o freio dianteiro com vontade sem deixar a roda bloquear. Isso parece difícil, e é, mas lembre-se que se a negociação da curva foi bem feita a perpendicular que vai do ponto de tangencia até o limite do ponto de saída lhe proporciona alguns bons metros que podem ser a diferença entre cair ou retomar a curva, agora em velocidade mais baixa.


Nada disso é útil se não treinarmos, se não praticarmos regularmente. Vale a pena estabelecer um programa de treinamento com colegas, escolher um local seguro, levar uma trena, fazer marcações e começar treinando frenagens de emergencia, primeiro a 40 km/h, depois a 60 km/h e assim sucessivamente. Garanto que muitos de nós ainda não vimos o pneu dianteiro de nossas motos bloquearem. É melhor descobrir em treinamentos e saber como proceder do que numa situação real.


Hélio Rodrigues Silva   21/06/2010
Postar um comentário