TOTAL DE VISUALIZAÇÕES

domingo, 8 de setembro de 2013

O CAMINHO DE VOLTA - New Orleans - Pensacola (2/2)

New Orleans (LA)  -  Pensacola  (FL)     8 de setembro de 2013
 
(2a. parte)

Após rodarmos, quase que sem parar, eis que avistamos nosso objetivo: a divisa do Mississipi com o Alabama. Mais um estado registrado no livro de bordo da Helô, agora o Alabama, passagem obrigatória para alcançarmos a Flórida.
 
.
 
Embora fosse um trecho curto decidi parar em Mobile onde, à margem da rodovia, existe um Battleship Memorial Park onde está o USS Alabama (60).
 

Falou em avião e museu eu interrompo a viagem mesmo, principalmente se neste museu estão dois aviões com historias distintas mas impressionantes. O primeiro é o Douglas DC-3, conhecido na FAB como C-47, sustentáculo do heróico CAN (Correio Aéreo Nacional) cujas histórias e façanhas são de conhecimento de pouquíssimas pessoas. Uma pena. O outro avião é um Mitchel B-25, bombardeiro médio que aplicou o mais surpreedente e ousado ataque sobre Tóquio na II Grande Guerra. Uma esquadrilha, liderada pelo Cel. Doolitle, foi lançada de porta-aviões próximo a aguas territoriais japonesas, já que nenhum avião americano, à época, tinha autonomia para atingir o Japão a partir de uma base em terra. Era uma missão sem retorno pois os porta-aviões teriam que fugir rápidamente e os B-25 teriam que pousar na China. A missão, embora tenha sido um sucesso, não causou grandes danos materiais mas foi um tremendo reforço no moral dos americanos e um grande  abalo para os japoneses verem sua capital bombardeada.
 
No memorial em homenagem aos mortos no Vietnam existe uma ala dedicada aos cães que morreram ou desapareceram em combate. Eles foram considerados soldados e tiveram as mesmas honras funebres que aqueles.
A primeira foto mostra uma lápide com as impressões  das patas de um cão bem como as das solas das botas de seu condutor. A 2a. foto é a representação de uma patrulha e a última mostra os nomes dos cães mortos e desaparecidos.
 
Saindo do Battleship Memorial Park com o sol começando a se por e uma temperatura mais civilizada foi fácil chegar à divisa com a Flórida, o último estado registrado no livro de bordo da Helô nesta viagem.
Da divisa até Pensacola foi muito rápido, coisa de 30 ou 40 milhas e o ritual de sempre: McDonalds e sua rede WiFi, procurar e reservar hotel, colocar endereço no GPS e descobrir que o hotel está na mesma quadra do McDonalds. Amanhã acordar cedo para visitar o Museu Aero Naval de Pensacola.
 
 
 

Postar um comentário