TOTAL DE VISUALIZAÇÕES

sábado, 15 de junho de 2013

A MARCHA PARA O OESTE - Como surgiu


Uma breve explicação


Após a volta do Cyro para o Brasil, continuo nos Estados Unidos e iniciei um novo projeto chamado “A MARCHA PARA O OESTE”. Diariamente, quando possível ou se justifica, posto fotos e algum comentário no FB, ocorre que muitos amigos pedem para que eu as coloque também no Blog pois fica mais fácil de consultar. Como iniciei a viagem no final de junho, com vários posts já colocados, vou resgatar os antigos aos poucos porém os atuais serão colocados ao mesmo tempo em que o faço no FB.

 

COMO SURGIU

Após o embarque do Cyro para o Brasil, com todas as gozações a que ele fez juz, até de cadeira de rodas ele andou com uma pilotagem magistral do locutor que vos fala.
 
 
 
 
Fiquei em Charlottesville (VA) e embora muitíssimo bem tratado pela família dele eu estava impaciente para inventar qualquer coisa. A idéia inicial era o Canada mas meu passaporte continuava no consulado canadense em Nova York para obter o visto sem previsão de retorno. Pensando um pouco, o que só faço em anos bissextos, lembrei que conhecia um pouco da costa do Pacífico e da costa do Atantico e quase nada do Centro-Oeste americano. Conversando com o genro do Cyro, o Bob que além de conhecer profundamente a história de seu país, ajudou-me a definir alguns importantes parametros para meu roteiro. Para isso partimos de 3 premissas:

1 – Fugir ao máximo das grandes Highways, utiliza-las apenas para deslocamentos rápidos sem perder de vista que o veículo é uma motocicleta que adora estradas sinuosas e serras.

2 – História + Geografia, ou seja dar preferencia a locais históricos e/ou de aspectos geográficos relevantes.

3 - Flexibilidade total, onde voce vai e volta ou vai e não volta ou então nem vai. É mais ou menos como “Sem lenço e sem documento”.

E assim foi feito uma espécie de rascunho, em torno das já famosas cervejas que o amigo dele fabrica. Troquei o pneu dianteiro da Helö, que estava com menos de meia-vida, preparei a tralha e aí veio a parte mais difícil: as despedidas. Momento de muito riso, muita brincadeira mas todos estão emocionados, uma última foto, montar na moto, sair gritando fingindo que vai cair mas só até a esquina, momento em que os olhos tem uma certa dificuldade de enchergar através de algumas lágrimas de saudade e gratidão.
Postar um comentário