TOTAL DE VISUALIZAÇÕES

sábado, 9 de julho de 2016

CANADA E ALASKA DE MOTO - 11



WAWA (Ontario) – THUNDER BAY (Ontario)

9 julho 2016



Hoje o dia foi perfeito, a começar pelo café da manhã. Ontem a polonesa dona do Motel já me deu as coordenadas exatas, sem possibilidade de erro. Quando perguntei horário e local do desjejum ela mandou na lata: “-A partir das 7 horas, você pega a estrada à esquerda, 4 Km à frente tem 3 restaurantes que servem desjejum a um ótimo preço”. Pronto, essa parte estava resolvida sem maiores delongas. Meu café foi uma banana que amadureceu no alforje da Helô e um comprimido de Diovan para controlar a bomba. Eu estava com pressa.




As previsões da meteorologia se confirmaram, o dia estava lindo. 17 gráus e sol, tempo ideal para pilotar. Coloquei a tal da “segunda pele”, que segura a onda muito bem, casaco de couro (que já estava esquecido), meias ainda um pouco molhadas (o secador de cabelo não deu conta) e a alegria de conseguirmos bailar, eu e a Helô, com uma certa elegância. Claro que ainda não tentamos o tango, dramático demais para nosso gosto.

A cada milha rodada a Trans Canada Highway, uma estrada apenas bonita porém monótona, ia ganhando vida. Apesar dos muitos consertos, a estrada passou a nos presentear com curvas suaves. Às vezes uma sequência delas, outras em ligeiros aclives e declives. Não é uma pilotagem brutal como o Rabo do Dragão mas, em compensação, você consegue olhar, curtir e sentir-se integrante das mais incríveis combinações de cenários com que a natureza nos surpreendia.





Aliás, o maior defeito da estrada é justamente esse. Por se repetirem cenários de tirar o fôlego, a vontade de parar é enorme mas o acostamento é mínimo. Por outro lado, existem muitas áreas para coleta de lixo com espaço para 30 a 40 carros no meio do nada. Bastava fazer essas áreas em alguns dos muitos locais incrivelmente belos. Parece que a mistura de francês com inglês não deu muito certo.

De qualquer forma consegui algumas fotos para vocês. Não me perdoaria se não o fizesse, com o risco de ganhar multas por parar no acostamento com pisca-alerta ligado.












Na estrada muitas motos, a maioria em grupos. Os caras sempre me cumprimentam e são muito simpáticos. O chato é cruzar com um “bonde”, você tem que cumprimentar todos. 

Já quase chegando a Thunder Bay parei para fazer umas fotos e um casal me cumprimentou ao ver nossa bandeira na Helô. Estavam em uma Trike, ele Bob (veterano do Vietnam) ela Lois (piloto de helicóptero). Batemos um longo papo e ele me deu umas dicas ótimas para British Columbia, ao final tiramos uma foto juntos e trocamos e-mails. Ele tem 78 anos e ela naturalmente não perguntei, os dois estão seguindo para o Alaska e na volta, dependendo de onde eu estiver, querem que passe na casa deles em Ohio. Saimos em seguida e acabamos nos encontrando novamente num restaurante alguns quilômetros à frente, agora ele estava com o grupo e fez questão de me apresentar. A maioria coroas, parece que a garotada não é muito chegada e uma estrada hoje em dia. 





Bem, missão cumprida, 480 Km feitos apenas 1 hora acima do estimado pelo GPS. O desinfeliz não considera paradas hidráulicas, gasolina e fotos. Acho até que ficou barato. Para amanhã ainda vou decidir. Meteorologia antes de mais nada.



Beijos e abraços a quem de direito....
Postar um comentário