TOTAL DE VISUALIZAÇÕES

quinta-feira, 7 de junho de 2018

AMERICAS TOUR 2018 - 4

CONQUISTANDO AS APPALACHIANS...

Columbia (SC) - Bristol (VA) - 7 junho 2018

Como os amigos sabem, hoje meu objetivo era fazer a inspeção annual da Helô para evitar problemas com a lei. Nada como não precisar de contar "história" para policial, ainda mais em Inglês. O negócio era sair cedo, botar o pé na Estrada, parar o mínimo possível e manter o foco na inspeção. Acordei bem cedo (umas 5:30), olhada na meteorologia, ver o estrago na conta bancária, pagamentos inadiáveis para alegria dos credores, bagagem arrumada na Helô, um café rapidinho na recepção (com aquelas rôscas açucaradas enjoativas. Mas como esta embutido no preço não há o que fazer, comi umas cinco). Era cedo mas o calor já começava a incomodar. Jaqueta de couro nem pensar. Sei que é um risco enorme pilotar de manga de camisa e com capacete aberto, já sofri um acidente assim trajado e sei as consequências. Por outro lado, se me visto de forma adequada, a qualidade da minha pilotagem vai cair muito em função do desgaste físico. Por isso, e não recomendo a ninguém, piloto o mais confortavelmente possível e compenso o risco aumentando minha margem de segurança. Por exemplo, aumento a distancia para o carro da frente, reduzo a velocidade em uns 10 a 15 % da que normalmente estaria utilizando, paradas com mais frequências, além de evitar manobras um pouco mais ousadas (olhar a mulher do próximo, nem pensar). Mas o fato é que começamos a subir o morro e o frio veio substituir aquele calorão infernal. Foi parar, colocar jaqueta, luvas e mandar para escanteio a tal margem coxinha. Meus amigos, o que nós tínhamos pela frente ! Simplesmente três National Forest se interligando e sobre as Montanhas Appalachians: Nantahala, Pisgah e Cherokee Forest. Uma pilotagem que deveria ser feita a caráter. E foi o que fizemos, uma Estrada de sonho, piso perfeito, com 3 (às vezes 4) pistas de rolamento, serpenteando por uma topografia de cartão postal. Meus amigos, foi inesquecível. Aquele friozinho gostoso que fica lutando com o sol para ver qual dos dois vai vencer a disputa. A Helô impecável, até mesmo uns estouros no escapamento quando fechava o punho para ajudar no freio motor. A sacana parecia adivinhar o toque suave da palma da mão indicando o lado do contra-esterço. E ela estava esfuziante, se entregava com tanta confiança ao seu velho motoqueiro que este, como que por encanto, conseguia acompanha-la mesmo nos passos mais ousados. Comecei a me movimentar e ajudar na inclinação quando tinhamos uma sequência de curvas em S. Fomos nos entrosando tanto que foi uma pena chegarmos à Virgínia. O encanto foi quebrado...
E foi assim, bailando e conversando que atravessamos o belo estado da Carolina do Norte e adentramos a cidade de Bristol.
Acontece que na realidade Bristol é uma cidade com metade no Tennesse e metade na Virginia. Torci para a HD estar na Virginia pois assim eu faria a inspeção. Em 2014 deixei um caminhão de dólares com eles quando a Helô teve um problema sério no comando de válvulas.
Por sorte era na Virginia mesmo. Foi muito simples, só colocar a moto na recepção, eles levaram-na para dentro e em meia hora ela já estava do lado de fora com o selo de inspeção. Paguei 12 dólares, peguei o document e me mandei para um hotelzinho bem razoável aqui em Bristol.
Estava revendo algumas fotos e vi uma que fiz no estacionamento do Welcome Center da Carolina do Norte. Deixei GPS, casaco, capacete, moto destrancada sem o menor problema. E não tem flanelinha ! E pensar que já fomos assim também....
Amanhã veremos o que reza o contrato.
Grande abraço a todos e boa noite....



















Postar um comentário